RELAÇÕES HUMANAS INTERPESSOAIS

Olá,

Veja 1:

(O Exterminador do Futuro 4: A Salvação (Terminator Salvation, 2009) # trailer 2 legendado)

Veja 2:

(O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final 3D (2017)

Veja 3:

(o exterminador do futuro 3 a rebeliao das maquinas)

Ouvindo:

(Pitty – Admirável Chip Novo)

/

/

ESQUEMA PSÍQUICO PARA RELAÇÕES HUMANAS: INTROSPECTIVO (Trevas <-> Sombra <-> Objeto ou Indivíduo <-> Luz = Percepção)

Veja:

(Os Vingadores Melhores Lutas)

Ouvindo 1:

(Experiência de Hawthorne)

Ouvindo 2:

(Teoria das Relações Humanas – UFF)

/

GESTALT (Forma-Fundo-Interação): “A gestalt (guès) (do alemão Gestalt, “forma”), também conhecida como gestaltismo (gues), teoria da formapsicologia da gestaltpsicologia da boa forma e leis da gestalt, é uma doutrina que defende que, para se compreender as partes, é preciso, antes, compreender o todo. Refere-se a um processo de dar forma, de configurar “o que é colocado diante dos olhos, exposto ao olhar”. A palavra gestalt tem o significado “de uma entidade concreta, individual e característica, que existe como algo destacado e que tem uma forma ou configuração como um de seus atributos”.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Gestalt)

PROGRAMAÇÃO NEURO LINGUÍSTICA – PNL: Tente encontrar um boneco, que representa cada letra do nosso alfabeto ->

Hemisfério Direito                                                                     Hemisfério Esquerdo

Cima (espaço para escrever) Alter-Ego  (CABEÇA) Super-Ego (CONSCIENTE)

Meio (linha) Inteligência Emocional – QE /I\ QI – Inteligência Cognitiva (SUBCONSICENTE)

Baixo (espaço da linha de baixo) Ego     /PERNAS\ ID- Impulso Determinante (INCONSCIENTE)

(GRAFO.logia numa visão brasileira/ https://oevangelhosegundoelias.wordpress.com/2017/04/19/grafo-logia-numa-visao-brasileira/)

(PSICANÁLISE E GRAFOLOGIA – PORQUE A LETRA MATA E O ESPÍRITO VIVIFICA!/ https://oevangelhosegundoelias.wordpress.com/2015/10/02/psicanalise-e-grafologia-porque-a-letra-mata-e-o-espirito-vivifica/)

 

CÓDIGOS ALFA- FONÉTICO-NUMÉRICO
CÓDIGO MAIÚSCULAS MINÚSCULAS QUANTIDADE
0 H, O, R h, o, r 3
1 I, T, Y i, t, y 3
2 N, Z n, z 2
3 E, M, U, W e, m, u, w 4
4 A, K, a, k 2
5 J, L j, l 2
6 Ç, S, SS ç, s, ss 3
7 F, V f, v 2
8 G, X g, x 2
9 B, D, P, Q b, d, p, q 4

(PROGRAMAÇÃO NEURO-LINGUÍSTICA: JOHN WATSON OR CLOCK?/ https://oevangelhosegundoelias.wordpress.com/2017/09/05/programacao-neuro-linguistica-john-watson-or-clock/)

BEHA (grita)-vi-ORISMO (esquema de condicionamento por horário): Estímulo-Resposta-Reforço: “Behaviorismo (do inglês Behavior = Comportamento) é uma abordagem sistemática para a compreensão do comportamento humano e animal. Assume que todos os comportamentos são reflexos produzidos por uma resposta a certos estímulos do ambiente, ou uma conseqüência da história desse indivíduo, incluindo especialmente reforço e punição, juntamente com o estado motivacional atual do indivíduo e os estímulos de controle. Embora os behavioristas geralmente aceitem o importante papel da herança na determinação do comportamento, eles se concentram principalmente em fatores ambientais. O Behaviorismo combina elementos de filosofia, metodologia e teoria psicológica. Surgiu no final do século XIX como uma reação à psicologia “profunda”(que levava em conta o inconsciente como responsável por ações humanas) e outras formas tradicionais de psicologia, que muitas vezes tiveram dificuldade em fazer previsões que poderiam ser testadas experimentalmente. Os primeiros derivados do Behaviorismo podem ser rastreados até o final dos anos 1800, onde Edward Thorndike foi pioneiro na lei do efeito (um processo que envolveu o fortalecimento do comportamento através do uso do reforço). Durante a primeira metade do século XX, John B. Watson desenvolveu o behaviorismo metodológico, que rejeitou os métodos introspectivos e procurou compreender o comportamento apenas medindo comportamentos e eventos observáveis. E assim foi até que, na década de 1930 Skinner sugeriu que os eventos privados – incluindo pensamentos e sentimentos – deveriam ser submetidos às mesmas variáveis ​​controladoras que comportamentos observáveis ​​que se tornaram a base de sua filosofia, chamada behaviorismo radical[1][2][2].  Enquanto Watson e Ivan Pavlov investigaram os procedimentos de estímulo-resposta do condicionamento clássico, Skinner avaliou a natureza de controle das conseqüências e também os antecedentes (ou estímulos discriminativos) que sinalizam o comportamento ; A técnica tornou-se conhecida como condicionamento operante . A aplicação do behaviorismo radical – conhecido como análise de comportamento aplicada – é utilizada em uma variedade de configurações, incluindo, por exemplo, o gerenciamento de comportamento organizacional , ao tratamento de transtornos mentais, como autismo e abuso de substâncias .  Além disso, embora o behaviorismo e as escolas cognitivas do pensamento psicológico possam não concordar teoricamente, eles se complementaram em terapias cognitivo-comportamentais, que demonstraram utilidade no tratamento de certas patologias, incluindo fobias simples, distúrbios de humor, entre outros. O comportamento é definido por meio de unidades analíticas, como respostas e estímulos, e investigado por meio de diferentes métodos, dentre os quais destacam-se: A observação do comportamento em ambiente experimentalmente controlado. A observação do comportamento em ambiente natural. A interpretação de relações comportamentais orientada por evidências empíricas.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Behaviorismo)

/

/

ESQUEMA PSÍQUICO PARA RELAÇÕES INTERPESSOAIS: EXTROSPECTIVO (Captar <-> Associar <-> Assimilar <-> compreender <-> Acomodar <-> Expor = Modalidades de aprendizagem/ https://pt.wikipedia.org/wiki/Modalidades_de_aprendizagem)

Veja:

(Relações Interpessoais no Trabalho: do pessoal ao líder de equipe)

/

pH CORPO HUMANO COGNIÇÃO EMOCIONAL ENEAGRAMA SISTEMA RELIGIOSO
pH (-) Paladar Oral Tipo 1 Alquimísmo (U.D.V.)
pH (-) Olfato Sensório-Motor Tipo 2 Budismo
pH (-) Audição Anal Tipo 3 Cristianismo
pH (=) Visão Pré-Operacional Tipo 4 Espiritismo
pH (=) Tato Sexual (Fálica) Tipo 5 Hinduísmo
pH (=) Sistema Vegetativo Operações Concretas Tipo 6 Islamismo
pH (+) Cerebelo Reprimido (Latente) Tipo 7 Judaísmo
pH (+) HE – Cérebro Operações Formais Tipo 8 Taoísmo
pH (+) HD – Cérebro Genital (1) Tipo 9 Xintoísmo

(1) Identidade de gênero consiste no modo como o indivíduo se identifica com o seu gênero. Em suma, representa como a pessoa se reconhece: homem, mulher, ambos ou nenhum dos gêneros. O que determina a identidade de gênero é a maneira como a pessoa se sente e se percebe, assim como a forma que esta deseja ser reconhecida pelas outras pessoas. A identidade de gênero pode ser medida em diferentes graus de masculinidade ou feminilidade, sendo que estes podem mudar ao decorrer da vida, de acordo com alguns psicólogos.” (https://www.significados.com.br/identidade-de-genero/)

/

“Em físico-química, o pH é por definição o colog da concentração hidrogeniônica do meio,[1][2] que indica a acidez ou basicidade de uma solução aquosa. Soluções com pH menor que 7 são ácidas, e com pH maior que 7, básicas ou alcalinas. A água pura é neutra (pH = 7), sendo assim não é considerada ácida nem básica. Ao contrário do que é comumente dito, o valor do pH pode ser menor que 0 e maior que 14, para ácidos e bases muito fortes, respectivamente.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/PH)

/

FUNCIONALIDADE DO CORPO HUMANO

“Paladar: Este sentido (capacidade) permite ao ser humano sentir o gosto (sabor) dos alimentos e bebidas. Na superfície de nossas línguas existem milhares de papilas gustativas. São elas que captam o sabor dos alimentos e enviam as informações ao cérebro, através de milhões de neurônios.” (Cinco Sentidos/ https://www.suapesquisa.com/pesquisa/cinco_sentidos.htm)

Olfato: Sentido relacionado à capacidade de sentir o cheiro das coisas. O nariz humano possui a capacidade de captar os odores do meio externo. Estes cheiros são enviados ao cérebro que efetua a interpretação.” (Cinco Sentidos/ https://www.suapesquisa.com/pesquisa/cinco_sentidos.htm)

“Audição: É a capacidade de ouvir os sons (vozes, ruídos, barulhos, músicas) provenientes do mundo exterior. O ouvido capta as ondas sonoras e as envia para que o cérebro faça a interprestação daquele som.” (Cinco Sentidos/ https://www.suapesquisa.com/pesquisa/cinco_sentidos.htm)

“Visão: É a capacidade de visualizar objetos e pessoas. O olho capta a imagem e envia para o cérebro, para que este faça o reconhecimento e interpretação.” (Cinco Sentidos/ https://www.suapesquisa.com/pesquisa/cinco_sentidos.htm)

Tato: É o sentido que permite ao ser humano sentir o mundo exterior através do contato com a pele. Abaixo da pele humana existem neurônios sensoriais. Quando a informação chega ao cérebro, uma reação pode ser tomada de acordo com a necessidade ou vontade.

(Cinco Sentidos/ https://www.suapesquisa.com/pesquisa/cinco_sentidos.htm)

CEREBELO: “cerebelo é a parte do encéfalo responsável pela manutenção do equilíbrio, pelo controle do tônus muscular, dos movimentos voluntários, e aprendizagem motora. Dependemos do cerebelo para andar, correr, pular, andar de bicicleta, entre outras atividades. É formado por 2 hemisférios – os hemisférios cerebelares, e por uma parte central, chamada de Vermis. O termo cerebelo deriva do latim e significa “pequeno cérebro”. (https://pt.wikipedia.org/wiki/Cerebelo)

“Através de uma proeminente ranhura chamada fissura longitudinal, o cérebro é dividido em duas metades chamadas hemisférios. Na base desta fissura encontra-se um espesso feixe de fibras nervosas, chamado corpo caloso, o qual fornece um elo de comunicação entre os hemisférios. O hemisfério esquerdo controla a metade direita do corpo e vice-versa, em razão de um cruzamento de fibras nervosas no bulbo. Ainda que os hemisférios direito e esquerdo pareçam ser uma imagem em espelho um do outro, existe uma importante distinção funcional entre eles. Na maioria das pessoas, por exemplo, as áreas que controlam a falaestão localizadas no hemisfério esquerdo, enquanto áreas que governam percepções espaciais residem no hemisfério direito. O sulco central e sulco lateral dividem cada hemisfério cerebral em quatro secções chamadas lobos (veja Divisão do Córtex Cerebral em Lobos). O sulco central, também chamado fissura de Rolando, separa também a área cortical motora, a qual é anterior à fissura). Começando do topo do hemisfério, as regiões superiores das áreas motoras e sensoriais controlam as partes inferiores do corpo. Dominância Cerebral: Este termo refere-se ao fato de que um dos hemisférios cerebrais é o “dominante” em certas funções. A diferença é predominantemente percebida na linguagem e habilidades manuais. Ainda que exista uma variabilidade de indivíduo para indivíduo, a linguagem é essencialmente representada no hemisfério esquerdo, enquanto as habilidades não verbais tendem a ser representadas no hemisfério direito. Área de Broca e área de Wernick (veja aqui estas áreas e suas funções) referem-se a regiões no hemisfério esquerdo que exercem a função da linguagem.” (Hemisférios Cerebrais/ http://www.cerebromente.org.br/n01/arquitet/hemisferios.htm)

“O hemisfério esquerdo: O hemisfério esquerdo é geralmente considerado o hemisfério verbal ou linguístico, por ser geralmente dominante para as modalidades de linguagem verbal e escrita. As áreas funcionais no hemisfério cerebral esquerdo estão mais localizadas que no hemisfério contralateral, de acordo com uma organização neuronal mais focalizada. O hemisfério esquerdo é em regra o hemisfério cerebral dominante para a linguagem oral e escrita. Devem ser considerados diferentes aspetos da linguagem, como por exemplo, a compreensão e a produção (ou expressão) da linguagem. Estudos antigos de DaxBrocaWernicke e Jackson já apontavam para um processamento linguístico essencialmente dependente do hemisfério esquerdo. A linguagem é um sistema de comunicação simbólica. A linguagem simbólica manifesta-se através das diferentes línguas, que são sistemas estruturados e complexos que permitem exprimir ideias.
A expressão da linguagem efetua-se através da linguagem oral (palavra oral) e da escrita. A leitura da palavra ou texto escrito implica o funcionamento do sistem visual, a sua integração com estímulos visuais e auditivos e, posteriormente, a compreensão do significado das palavras (semântica). (O hemisfério esquerdo/ http://olharocerebro.com/index.php/2016/03/28/o-hemisferio-esquerdo/)

“O hemisfério direito: O hemisfério cerebral direito tem um papel crítico em muitas funções cognitivas, de comunicação e sociais. Considera-se o hemisfério espacial ou não verbal. A organização neuronal no hemisfério direito é considerada mais difusa em relação ao hemisfério contralateral, pelo que as suas funções estão geralmente mais distribuidas. O hemisfério direito é dominante em tarefas espaciais não verbais. O hemisfério direito realiza mais eficazmente tarefas que necesssitam de processamento global (holístico) ou simultâneo. Têm sido atribuidas ao hemisfério direito funções não verbais tais como integração motora, perceção profunda e aspetos da memória. O hemisfério direito está mais relacionado com a representação da realidade visuo-espacial. É o hemisfério dominante em atividades que implicam processamento visuo-espacial, como por exemplo, a orientação no espaço, leitura de mapas, memória espacial e o reconhecimento de faces. (O hemisfério direito/ http://olharocerebro.com/index.php/2016/03/23/o-hemisferio-direito/)

/

DESENVOLVIMENTO HUMANO COGNITIVO EMOCIONAL

“1 –  O Estágio Oral

Faixa etária: Nascimento – 1 Ano

Zona erógena: Boca

Durante o estágio oral, a fonte primária de interação do lactente ocorre através da boca, de modo que o enraizamento e reflexo de sucção é especialmente importante. A boca é vital para comer e a criança obtém prazer da estimulação oral por meio de atividades gratificantes, como degustar e chupar. A criança é totalmente dependente de cuidadores (que são responsáveis pela alimentação dela), e também desenvolve um sentimento de confiança e conforto através desta estimulação oral. O conflito principal nesta fase é o processo de desmame – a criança deve tornar-se menos dependente de cuidadores. Se ocorrer a fixação nesta fase, Freud acreditava que o indivíduo teria problemas com dependência ou agressão. Fixação oral pode resultar em problemas com a bebida, comer, fumar ou roer as unhas.” (O que é desenvolvimento psicossexual para Freud?/ http://psicoativo.com/2016/04/as-5-fases-do-desenvolvimento-psicossexual-de-freud.html)

O Estágio Sensório-Motor: O primeiro estágio de desenvolvimento, o estágio sensório-motor, envolve aumentos no número e na complexidade de capacidades sensoriais (input) e motoras (output) durante a infância – aproximadamente do nascimento a cerca de 18-24 meses de idade -. Segundo Piaget, as primeiras adaptações do bebê são reflexivas. Gradualmente, os bebês obtêm controle consciente e intencional sobre suas ações motoras. A princípio, eles agem assim para manter ou repetir sensações interessantes. Mais tarde, entretanto, exploram ativamente seu mundo físico e buscam com afinco novas e interessantes sensações. Ao longo das primeiras fases do desenvolvimento cognitivo sensório-motor, a cognição infantil parece focalizar-se apenas no que eles podem perceber imediatamente, pelos seus sentidos. Os bebês nada concebem que não lhes seja imediatamente perceptível. De acordo com Piaget, eles não têm um senso de permanência do objeto, pela qual os objetos continuam a existir, mesmo quando imperceptível aos bebês. Por exemplo, antes de aproximadamente 9 meses de idade, os que observam um objeto quando está sendo escondido de sua vista não o procurarão, uma vez escondido. Se um bebê de 4 meses de idade estivesse observando você esconder um chocalho debaixo de um cobertor, esse bebê não tentaria encontrar o chocalho sob o cobertor, enquanto um de 9 meses tentaria.” (Estágios de desenvolvimento de Piaget/ http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/teoria-do-desenvolvimento-cognitivo-de-jean-piaget/)

“2 – Estágio Anal

Faixa Etária: 1 a 3 anos

Zona erógena: Entranhas e controle da bexiga

Durante a fase anal, Freud acreditava que o foco principal da libido estava no controle da bexiga e evacuações. O grande conflito nesta fase é o treinamento do toalete – a criança tem de aprender a controlar suas necessidades corporais. Desenvolver esse controle leva a um sentimento de realização e independência. De acordo com Freud, o sucesso nesta fase é dependente da maneira com que os pais se aproximam no treinamento do toalete. Os pais que utilizam elogios e recompensas para usar o banheiro no momento oportuno incentivam resultados positivos e ajudam as crianças a se sentir capazes e produtivas. Freud acreditava que experiências positivas durante este estágio servem de base para que as pessoas tornem-se adultos competentes, produtivos e criativos. No entanto, nem todos os pais fornecem o apoio e encorajamento que as crianças precisam durante este estágio. Alguns pais vão punir com ridicularização ou vergonha os acidentes das crianças. De acordo com Freud, as respostas parentais inadequadas podem resultar em resultados negativos. Se os pais levam uma abordagem que é muito branda, Freud sugeriu que poderia se desenvolver uma personalidade anal-expulsiva, em que o indivíduo tem uma personalidade confusa ou destrutiva. Se os pais são muito rigorosos ou começam o treinamento do toalete muito cedo, Freud acreditava que uma personalidade anal-retentiva se desenvolveria, na qual o indivíduo é rigoroso, ordenado, rígido e obsessivo.” (O que é desenvolvimento psicossexual para Freud?/ http://psicoativo.com/2016/04/as-5-fases-do-desenvolvimento-psicossexual-de-freud.html)

O Estágio Pré-Operatório: No estágio pré-operatório, da idade aproximada de 1 1/2 ou 2 anos a cerca de 6 ou 7 anos, a criança começa a desenvolver ativamente as representações mentais internas, que se iniciaram no fim do estágio sensório-motor. Segundo Piaget, o aparecimento do pensamento representativo, durante o estágio pré-operatório, abre o caminho para o desenvolvimento subsequente do pensamento lógico, durante o estágio de operações concretas. Com o pensamento representativo, chega a comunicação verbal. Entretanto a comunicação é amplamente egocêntrica. Uma conversação pode parecer sem qualquer coerência. A criança diz o está em sua mente, sem considerar muito o que outra pessoa disse. À medida que as crianças se desenvolvem, no entanto, levam cada vez mais em consideração o que os outros disseram, quando criam seus próprios comentários e respostas. A capacidade para manipular os símbolos verbais para objetos e ações – ainda que egocentricamente – acompanha a capacidade para manipular conceitos, e o estágio pré-operatório caracteriza-se por acréscimo no desenvolvimento conceitual. Todavia, a capacidade infantil para manipular conceitos ainda é bastante limitada durante este estágio. Por exemplo, durante esta fase as crianças exibem centração – uma tendência para focalizar somente um aspecto especialmente observável de um objeto ou uma situação complicada. Piaget fez uma série de experimentos que mostravam a centração das crianças. Ele representava a elas dois exemplares de trens em dois trilhos paralelos diferentes, conforme é mostrado na figura abaixo. Usava horários distintos de partida e de parada para cada trem e fazia-os seguirem seus trajetos em velocidades diferentes. Então entabulava perguntas sobre quem viajava mais lenta ou mais rapidamente.” (Estágios de desenvolvimento de Piaget/ http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/teoria-do-desenvolvimento-cognitivo-de-jean-piaget/)

“3 – A fase fálica

Faixa etária: 3 a 6 anos

Zona erógena: Genitais

Durante a fase fálica, o foco principal da libido é sobre os órgãos genitais. Nessa idade, as crianças também começam a descobrir as diferenças entre machos e fêmeas. Freud também acreditava que os meninos começam a ver seus pais como rivais pelo afeto da mãe. O complexo de Édipo descreve esses sentimentos de querer possuir a mãe e o desejo de substituir o pai. No entanto, a criança também teme ser punida pelo pai por estes sentimentos, um medo que Freud denominou de angústia de castração. O termo complexo de Electra tem sido usado para descrever um conjunto semelhante de sentimentos vivenciados pelas jovens. Freud, no entanto, acredita que as meninas, em vez disso experimentam inveja do pênis. Eventualmente, a criança começa a se identificar com o genitor do mesmo sexo como um meio de vicariamente possuir o outro progenitor. Para as meninas, no entanto, Freud acreditava que a inveja do pênisnão foi totalmente resolvida e que todas as mulheres continuam a ser um pouco fixadas neste estágio.  Psicólogos como Karen Horney contestam esta teoria, chamando-a de um tanto imprecisa e degradante para as mulheres. Em vez disso, Horney propôs que os homens experimentam sentimentos de inferioridade porque eles não podem dar a luz à filhos, um conceito à que ela se referiu como inveja do útero.” (O que é desenvolvimento psicossexual para Freud?/ http://psicoativo.com/2016/04/as-5-fases-do-desenvolvimento-psicossexual-de-freud.html)

O Estágio Operatório Concreto: No estágio de operações concretas, aproximadamente dos 7 ou 8 anos ate os 11 ou 12 anos de idade, as crianças tornam-se capazes de manipular mentalmente as representações internas que formaram, durante o período pré-operatório. Em outras palavras, eles agora não só têm ideias e memórias dos objetos, mas também podem realizar operações mentais com essas ideias e memórias. Entretanto, podem agir assim apenas quanto a objetos concretos (por exemplo, ideias e memórias de carros, alimentos, brinquedos, e outras coisas tangíveis) – daí a denominação de “operações concretas”. Talvez, a evidência mais forte da mudança do pensamento pré-operatório para o pensamento representativo do estágio operatório concreto seja vista nos experimentos clássicos de Piaget sobre conservação da quantidade. Na conservação, a criança é capaz de conservar mentalmente (lembrar-se) uma dada quantidade, embora observe modificações na aparência do objeto ou da substância. Esses experimentos investigaram as respostas das crianças a se uma quantidade de alguma coisa (por exemplo, o número de peças do jogo de damas, a quantidade de líquido ou o volume de massa) era conservada, apesar de modificações na aparência.” (Estágios de desenvolvimento de Piaget/ http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/teoria-do-desenvolvimento-cognitivo-de-jean-piaget/)

“4 – O período de latência

Faixa etária: 6 anos – puberdade

Zona erógena: sentimentos sexuais são inativos

Durante o período de latência, os  interesses da libido são suprimidos. O desenvolvimento do ego e superegocontribuem para este período de calma. O estágio começa na época em que as crianças entram na escola e tornam-se mais preocupadas com as relações entre colegas, hobbies e outros interesses. O período de latência é um tempo de exploração em que a energia sexual ainda está presente, mas é direcionada para outras áreas, como atividades intelectuais e interações sociais. Esta etapa é importante para o desenvolvimento de habilidades sociais e de comunicação e autoconfiança.” (O que é desenvolvimento psicossexual para Freud?/ http://psicoativo.com/2016/04/as-5-fases-do-desenvolvimento-psicossexual-de-freud.html)

“Estágio Operatório Formal: estágio operatório formal, aproximadamente dos 11 ou 12 anos de idade em diante, envolve operações mentais sobre abstrações e símbolos que podem não ter formas concretas ou físicas. Além do mais, as crianças começam a compreender algumas coisas que elas mesmas não tinham experimentado diretamente. Durante o estágio de operações concretas, elas começam a ser capazes de ver a perspectiva dos outros, se a perspectiva alternativa pode ser manipulada concretamente. Por exemplo, elas podem imaginar como outra criança pode ver uma cena (por exemplo, a pintura de uma cidade) quando sentam em lados opostos de uma mesa onde a cena é exibida. Durante as operações formais, entretanto, finalmente elas são completamente capazes de adotar outras perspectivas além das suas próprias, mesmo quando não estão trabalhando com objetos concretos. Além disso, no estágio de operações formais, as pessoas procuram intencionalmente criar uma representação mental sistemática das situações com as quais se deparam. Piaget usou diversas tarefas para demonstrar o ingresso nas operações formais. Considerem, por exemplo, a maneira pela qual delineamos as permutações (variações em combinações).” (Estágios de desenvolvimento de Piaget/ http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/teoria-do-desenvolvimento-cognitivo-de-jean-piaget/)

“5 – O Estágio Genital

Faixa etária: Puberdade à Morte

Zona erógena: Amadurecendo de Interesses Sexuais

Durante a fase final de desenvolvimento psicossexual, o indivíduo desenvolve um forte interesse sexual no sexo oposto. Esta fase começa durante a puberdade, mas passa por todo o resto da vida de uma pessoa. Em fases anteriores, o foco foi exclusivamente nas necessidades individuais, porém o interesse pelo bem estar dos outros cresce durante esta fase. Se as outras etapas foram concluídas com êxito, o indivíduo deve agora ser bem equilibrado, tenro e carinhoso. O objetivo desta etapa é estabelecer um equilíbrio entre as diversas áreas da vida.” (O que é desenvolvimento psicossexual para Freud?/ http://psicoativo.com/2016/04/as-5-fases-do-desenvolvimento-psicossexual-de-freud.html)

/

O QUE É ENEAGRAMA

“Composto por um círculo, um triângulo e uma hexade, o eneagrama é uma figura geométrica de nove pontas que funciona como símbolo processual. Pode ser usado na compreensão e estudo de qualquer processo contínuo, uma vez que, em sua lógica, o fim é sempre o início de um novo ciclo. É essa riqueza de possibilidades que explica a presença do eneagrama em diversas tradições antigas, do pensamento grego de Pitágoras e Platão às filosofias herméticas e gnósticas, passando pelo judaísmo, cristianismo e islamismo. No mundo moderno, a presença do eneagrama se deve a Gurdjieff, filósofo armênio que ensinou filosofia do autoconhecimento profundo no começo do século passado. Gurdjieff deparou-se com o símbolo em uma de suas viagens e passou a utilizá-lo como um modelo de processos naturais. Alguns anos mais tarde, Oscar Ichazo, filósofo boliviano que, assim como Gurdjieff, era fascinado pela ideia de recuperar conhecimentos perdidos, pesquisou e sintetizou os vários elementos do eneagrama. No início da década de 50, Ichazo associou as nove pontas do símbolo aos nove tributos divinos que refletem a natureza humana, oriundos da tradição cristã. Nascia a relação entre o eneagrama e os tipos de personalidade. Ao longo dos anos seguintes, Ichazo estabeleceu a sequência adequada de emoções no símbolo, fazendo mais de 108 eneagramas descrevendo processos e criando o primeiro mapa da psique humana para elevação do nível de consciência. Por fim, em 1970, o médico psiquiatra Claudio Naranjo correlacionou os tipos do eneagrama às características psiquiátricas que conhecia, começando a expandir as resumidas descrições de Ichazo e montando um sistema de tipologias.” (http://www.ieneagrama.com.br/o-eneagrama/2/o-que-e-eneagrama)

“Personalidade Tipo 1 – O Perfeccionista- Vício Emocional = Raiva: As pessoas que adotaram o Tipo 1 são centradas na ação, têm um senso prático exigente, que dá prioridade às tarefas a serem realizadas. O vício emocional é a Raiva, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude esforçada e auto-imagem virtuosa – Eu estou fazendo a minha parte. O nome Perfeccionista vem do alto nível de exigência, que as faz serem conhecidas como “cri-cris”. “Se isso tem que ser feito, não interessa se você gosta ou não, tem que ser feito.” (http://www.ieneagrama.com.br/tipos/1/perfeccionista)

“Personalidade Tipo 2 – O Prestativo- Vício Emocional = Orgulho: As pessoas que adotaram o Tipo 2 são centradas na emoção, têm uma percepção aguda dos outros, tornando-se conquistadoras, que sabem como conseguir o que querem das pessoas. O vício emocional é o Orgulho, que, por ser inconsciente, é justificado com a atitude solícita e a auto-imagem bem-intencionada. Esta emoção sustenta um comportamento baseado na sensação de auto-suficiência e capacidade. “Eu posso”. O nome Prestativo se adapta vem da alta sensação de capacidade e a atitude comum é a de “Eu posso, eu sei, eu faço”. Hábeis nas relações, costumam ser conhecidos como pessoas queridas.”

(http://www.ieneagrama.com.br/tipos/2/prestativo)

Personalidade Tipo 3 – O Bem-sucedidoVício Emocional = Vaidade: As pessoas que adotaram o Tipo 3 são centradas na ação ou no planejamento, visando reconhecimento.Têm uma visão mercantilista, que os guia na sua perseguição pelo sucesso. O vício emocional é a Vaidade, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude progressista e auto-imagem eficiente.” (http://www.ieneagrama.com.br/tipos/3/bem-sucedido)

Personalidade Tipo 4 – O RomânticoVício Emocional = Inveja: As pessoas que adotaram o Tipo 4 são pessoas centradas na emoção, são sensíveis ao ambiente e emocionalmente instáveis. A sensível percepção emocional faz delas pessoas que vêem o que a maioria não vê. O vício emocional é a Inveja, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude insatisfeita e auto-imagem de singularidade. Das 9 emoções descritas no eneagrama, a inveja é a mais incompreendida, agravando a dificuldade dos Românticos em se identificarem no eneagrama. O que facilmente reconhecem é a insatisfação.” (http://www.ieneagrama.com.br/tipos/4/romantico)

“Personalidade Tipo 5 – O Observador – Vício Emocional = Avareza: As pessoas que adotaram o Tipo 5 são centradas na mente, têm uma curiosidade pelo entendimento, tornando-se planejadores extremamente racionais. O vício emocional é a Avareza, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude pouco expressiva e auto-imagem lógica e prudente.O nome Observador vem da atitude de não-envolvimento, como se preferisse estar em segundo plano, de onde pode ver melhor sem perder seu senso crítico. Dos Tipos do Eneagrama são os “mais na deles”; preferem estar consigo mesmos, envolvidos em atividades que só dizem respeito a si próprios. (http://www.ieneagrama.com.br/tipos/5/observador)

“Personalidade Tipo 6 – O Questionador – Vício Emocional “= Medo: As pessoas que adotaram o Tipo 6 são centradas na ação ou na emoção, visando ao controle. São atentas e desconfiadas, embora não necessariamente expressem isso. Preferem se preparar a atirar-se de improviso. O vício emocional é o Medo, que, por ser inconsciente, é justificado com a auto-imagem de precavido e realista. O nome Questionador vem da atitude desconfiada e alerta, do tipo “Enquanto você está indo, eu já fui e estou voltando”. No subtipo sexual encontramos a forma contrafóbica do medo, que é reconhecida com atitudes opostas ao medo, do tipo “O que você está olhando ai? Vai encarar?”

(http://www.ieneagrama.com.br/tipos/6/questionador)

Personalidade Tipo 7 – O SonhadorVício Emocional = Gula: As pessoas que adotaram o Tipo 7 são centradas na mente; têm uma agilidade mental para lidar com várias coisas ao mesmo tempo, dando prioridade ao prazer. O vício emocional é a Gula, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude entusiasta e auto-imagem de hábil improvisador. “Faço do limão uma limonada”. O nome Sonhador vem da grande quantidade de idéias e planos, beirando o impossível.

(http://www.ieneagrama.com.br/tipos/7/sonhador)

Personalidade Tipo 8 – O ConfrontadorVício Emocional = Luxúria: As pessoas que adotaram o Tipo 8 são centradas na ação, têm uma facilidade em mandar e liderar, dando prioridade à realização. O vício emocional é a Luxúria, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude dominadora e auto-imagem realizadora. Tudo ao seu redor tem de ser intenso e desafiador, numa atitude de “Dar um boi para não entrar e uma boiada para não sair”. O nome Confrontador vem da facilidade com que se posicionam a respeito do que querem, expressando-se de forma direta e objetiva, intimidando com sua aparente segurança.” (http://www.ieneagrama.com.br/tipos/8/confrontador)

“Personalidade Tipo 9 – O Preservacionista – Vício Emocional = Indolência: As pessoas que adotaram o Tipo 9 são centradas na emoção ou na mente, têm uma atitude mediadora, dando prioridade ao bem comum. O vício emocional é a Indolência, que, por ser inconsciente, é justificada com a atitude tranquila e auto-imagem conciliadora, “Se cada um ceder um pouco, todos ficarão bem“. O nome Preservacionista vem da busca de preservar o status, evitando conflito em prol da paz e da tranqüilidade.”

(http://www.ieneagrama.com.br/tipos/9/preservacionista)

/

SISTEMA RELIGIOSO

ALQUIMISTA (UNIÃO DO VEGETAL – UDV): “Alquimia é uma prática que combina elementos da QuímicaAntropologiaAstrologiaFilosofiaMetalurgia e Matemática. Existem quatro objetivos principais na sua prática. Um deles seria a transmutação dos metais inferiores ao ouro; o outro a obtenção do Elixir da Longa Vida, um remédio que curaria todas as doenças, até a pior de todas (a morte), e daria vida longa àqueles que o ingerissem. Ambos os objetivos poderiam ser conseguidos ao obter a Pedra Filosofal, uma substância mística. O terceiro objetivo era criar vida humana artificial, os homunculi. O quarto objetivo era fazer com que a realeza conseguisse enriquecer mais rapidamente (este último talvez unicamente para assegurar a sua existência, não sendo um objetivo filosófico). É reconhecido que, apesar de não ter caráter científico, a Alquimia foi uma fase importante na qual se desenvolveram muitos dos procedimentos e conhecimentos que mais tarde foram utilizados pela Química. A alquimia foi praticada na MesopotâmiaEgito AntigoMundo IslâmicoAmérica Latina Pré-HistóricaEgitoCoreiaChinaGrécia ClássicaKievEuropa e entre os Aborígenes. A ideia da transformação de metais em ouro, acredita-se estar diretamente ligada a uma metáfora de mudança de consciência. A pedra seria a mente “ignorante” que é transformada em “ouro”, ou seja, sabedoria. Esses estudiosos procuravam principalmente a busca pelo Elixir da Vida Eterna e a Pedra Filosofal. Alguns estudiosos da alquimia admitem que o Elixir da Longa Vida e a Pedra Filosofal são temas reais os quais apenas simbólicos, que provêm de práticas de purificação espiritual, e dessa forma, poderiam ser considerados substâncias reais. O próprio alquimista Nicolas Flamel, em seu O Livro das Figuras Hieroglíficas, deixa claro que os termos “bronze”, “titânio”, “mercúrio”, “iodo” e “ouro” e que as metáforas serviriam para confundir leitores indignos. Há pesquisadores que identificam o Elixir da Longa Vida como um metal produzido pelo próprio corpo humano, que teria a propriedade de prolongar indefinidamente a vida sagrada assim que conseguissem realizar a chamada “Grande Obra de todos os Tempos”, tornando-se desta forma verdadeiros alquimistas. Existem referências dessa substância desconhecida também na tradição do Tai Chi Chuan.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Alquimia)

“O Centro Espírita Beneficente União do Vegetal é uma sociedade religiosa fundada a 22 de Julho de 1961 por José Gabriel da Costa, o Mestre Gabriel, com o objetivo de promover a paz e “trabalhar pela evolução do ser humano no sentido do seu desenvolvimento espiritual”, conforme consta em seu regimento interno. A instituição conta hoje com mais de 18 mil sócios, distribuídos em mais de 200 unidades, em todos os estados do Brasil, em Peru e em alguns países da Europa, América do Norte e Oceania. Em suas sessões, os associados bebem o chá Hoasca, ou Ayahuasca, como também é conhecido, para efeito de concentração mental. No Brasil, o uso da Hoasca em rituais religiosos foi regulamentado em 25 de janeiro de 2010 pelo CONAD, o Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas, do Governo Federal Brasileiro. Essa regulamentação estabelece normas legais para as instituições religiosas que fazem uso responsável do chá. A Suprema Corte dos Estados Unidos, concedeu à União do Vegetal, por unanimidade, o direito ao uso do chá Hoasca durante suas sessões religiosas em todo território estadunidense, em audiência realizada no dia 21 de Fevereiro de 2006.  Além da atividade religiosa, a UDV desenvolve também um trabalho de beneficência social. O Governo Federal concedeu ao Centro Espírita Beneficente União do Vegetal o título de Entidade de Utilidade Pública, no Diário Oficial da União nº 139, do dia 22 de julho de 1999.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Uni%C3%A3o_do_Vegetal)

BUDISTA: “Budismo (páli/sânscrito: बौद्ध धर्म Buddha Dharma) é uma filosofia ou religião não teísta que abrange diversas tradições, crenças e práticas geralmente baseadas nos ensinamentos de Buda. Engloba escolas como o TeravadaZenTerra Pura e o budismo tibetano, se espalhou mais pelo TibeteChina e Japão. Várias fontes colocam o número de budistas no mundo entre 230 milhões e 500 milhões, sendo assim a quinta maior religião do mundo. As escolas budistas variam sobre a natureza exata do caminho da libertação, a importância e canonicidade de vários ensinamentos e, especialmente, suas práticas. Entretanto, as bases das tradições e práticas são as Três Joias: O Buda (como seu mestre), o Dharma (ensinamentos baseados nas leis do universo) e a Sangha (a comunidade budista). Encontrar refúgio espiritual nas Três Joias ou Três Tesouros é, em geral, o que distingue um budista de um não budista. Outras práticas podem incluir a renúncia convencional de vida secular para se tornar um monge (sânscritopálibhikkhu) ou monja (sânscrito; páli: bhikkhuni).” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Budismo)

CRISTÃO: “Cristianismo (do grego Xριστός, “Christós”, messias, ungido, do heb. משיח “Mashiach”) é uma religião abraâmica monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento. A  cristã acredita essencialmente em Jesus como o CristoFilho de DeusSalvador e Senhor. A religião cristã tem três vertentes principais: o Catolicismo Romano (subordinado ao bispo romano), a Ortodoxa Oriental (se dividiu da Igreja Católica em 1054 após o Grande Cisma) e o protestantismo (que surgiu durante a Reforma do século XVI). O protestantismo é dividido em grupos menores chamados de denominações. Os cristãos acreditam que Jesus Cristoé o Filho de Deus que se tornou homem e o Salvador da humanidade, morrendo pelos pecados do mundo. Geralmente, os cristãos se referem a Jesus como o Cristo ou o Messias. Os seguidores do cristianismo, conhecidos como cristãos, acreditam que Jesus seja o Messias profetizado na Bíblia Hebraica (a parte das escrituras comum tanto ao cristianismo quanto ao judaísmo). A teologia cristã ortodoxa alega que Jesus teria sofrido, morrido e ressuscitado para abrir o caminho para o céu aos humanos; Os cristãos acreditam que Jesus teria ascendido aos céus, e a maior parte das denominações ensina que Jesus irá retornar para julgar todos os seres humanos, vivos e mortos, e conceder a imortalidade aos seus seguidores. Jesus também é considerado para os cristãos como modelo de uma vida virtuosa, e tanto como o revelador quanto a encarnação de Deus. Os cristãos chamam a mensagem de Jesus Cristo de Evangelho (“Boas Novas”), e por isto referem-se aos primeiros relatos de seu ministério como evangelhos. O cristianismo se iniciou como uma seita judaica e, como tal, da mesma maneira que o próprio judaísmo ou o islamismo, é classificada como uma religião abraâmica. Após se originar no Mediterrâneo Oriental, rapidamente se expandiu em abrangência e influência, ao longo de poucas décadas; no século IV já havia se tornado a religião dominante no Império Romano. Durante a Idade Média a maior parte da Europa foi cristianizada, e os cristãos também seguiram sendo uma significante minoria religiosa no Oriente MédioNorte da África e em partes da Índia. Depois da Era das Descobertas, através de trabalho missionário e da colonização, o cristianismo se espalhou para a América e pelo resto do mundo. O cristianismo desempenhou um papel de destaque na formação da civilização ocidental pelo menos desde o século IV. No início do século XXI o cristianismo conta com entre 2,3 bilhões de fiéis, representando cerca de um quarto a um terço da população mundial, e é uma das maiores religiões do mundo. O cristianismo também é a religião de Estado de diversos países.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Cristianismo)

ESPÍRITA: “EspiritismoDoutrina espíritaKardecismo ou Espiritismo kardecista é uma doutrina religiosa e filosófica mediúnica ou moderno espiritualista. Foi “codificada” (ou seja, tomou corpo de doutrina – pela universalidade dos ensinos dos espíritos) pelo pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, usando o pseudônimo Allan Kardec. Apesar de ser uma religião completa e autônoma apenas no Brasil, o espiritismo tem se expandido e, segundo dados do ano 2005, conta com cerca de 15 milhões de adeptos espalhados entre diversos países, como PortugalEspanhaFrançaReino UnidoBélgica Estados UnidosJapãoAlemanhaArgentinaCanadá, e, principalmente, CubaJamaica e Brasil, sendo que este último tem a maior quantidade de adeptos no mundo. No entanto, vale frisar que é difícil estipular a quantidade existente de espíritas, pois as principais estipulações sobre isso são baseadas em censos demográficos em que se é perguntado qual a religião dos cidadãos, porém nem todos os espíritas interpretam o Espiritismo como religião. Depois de observar e analisar as mesas girantes, o professor Rivail ficou intrigado com o fato de que como poderia a mesa se mover se não havia músculos ou formular respostas se não um cérebro. E foi o próprio fenômeno que teria respondido: “Não é a mesa que pensa! Somos nós as almas dos homens que viveram na Terra”. Então o professor Rivail foi estudar este e outros fenômenos como a chamada “incorporação” (o termo incorretamente dá a ideia de que o espírito entra em um corpo como a água que enche um copo – quando, na verdade, o fenômeno é psíquico) e outros “fenômenos mediunicos” (causados por inteligências incorpóreas ou imateriais, os espíritos) e anímicos. Kardec definiu o espiritismo como “a doutrina fundada sobre a existência, as manifestações e o ensino dos espíritos“. Segundo ele, o espiritismo aliaria ciênciafilosofia e religião, buscando uma melhor compreensão não apenas do universo tangível (científico), mas também do universo a esse transcendente (religião). O termo Spiritisme foi criado por Kardec em 1857para definir o corpo de ideias reunidas em seu “O Livro dos Espíritos” e destacar as diferenças do espiritismo para o espiritualismo. A doutrina espírita é baseada em cinco “obras básicas”, chamadas de Codificação Espírita, publicada por Kardec entre 1857 e 1868. A codificação é composta por O Livro dos EspíritosO Livro dos MédiunsO Evangelho segundo o EspiritismoO Céu e o Inferno e A Gênese. Somam-se ainda as chamadas obras “complementares”, como O Que é o Espiritismo?Revista Espírita e Obras Póstumas. Mesmo não sendo reconhecido como ciência, seus adeptos consideram-no uma doutrina de cunho científico-filosófico-religioso voltada para o aperfeiçoamento moral do homem e acreditam na existência de um Deus único, na possibilidade de comunicação útil com os espíritos através de médiuns e na reencarnação como processo de crescimento espiritual e justiça divina. O espiritismo também é conhecido por influenciar e promover um movimento social de instituições de caridade e saúde, que envolve milhões de pessoas em dezenas de países. (https://pt.wikipedia.org/wiki/Espiritismo)

HINDUÍSTA: “Hinduísmo é uma tradição religiosa que se originou no subcontinente indiano. É frequentemente chamado de Sanātana Dharma (सनातन धर्म) pelos seus praticantes, frase em sânscrito que significa “a eterna (perpétua) darma (lei)”. Num sentido mais abrangente, o hinduísmo engloba o bramanismo, isto é, a crença na “Alma Universal”, Brâman; num sentido mais específico, o termo se refere ao mundo cultural e religioso, ordenado por castas, da Índia pós-budista.De acordo com o livro História das Grandes Religiões, “o hinduísmo é um estado de espírito, uma atitude mental dentro de seu quadro peculiar, socialmente dividido, teologicamente sem crença, desprovido de veneração em conjunto e de formalidades eclesiásticas ou de congregação: e ainda substitui o nacionalismo”. Entre as suas raízes está a religião védica da Idade do Ferro na Índia e, como tal, o hinduísmo é citado frequentemente como a “religião mais antiga”, a “mais antiga tradição viva” ou a “mais antiga das principais tradições existentes”. É formado por diferentes tradições e composto por diversos tipos, e não possui um fundador. Estes tipos de sub-tradições e denominações, quando somadas, fazem do hinduísmo a terceira maior religião, depois do cristianismo e do islamismo, com aproximadamente um bilhão de fiéis, dos quais cerca de 905 milhões vivem na Índia e no Nepal. Outros países com populações significativas de hinduístas são BangladeshSri LankaPaquistãoMalásiaSingapurailhas MaurícioFijiSurinameGuianaTrindade e TobagoReino UnidoCanadá e Estados Unidos. O vasto corpo de escrituras do hinduísmo se divide em shruti (“revelado”) e smriti (“lembrado”). Estas escrituras discutem a teologiafilosofia e a mitologia hinduísta, e fornecem informações sobre a prática do darma (vida religiosa). Entre estes textos os Vedas e os Upanixades possuem a primazia na autoridade, importância e antiguidade. Outras escrituras importantes são os Tantras, os Ágamas, sectários, e os Puranas (IPA[Purāṇas]), além dos épicos Maabárata (IPA[Mahābhārata]) e Ramáiana (IPA[Rāmāyaṇa]). O Bagavadguitá(IPA[Bhagavad Gītā]), um tratado do Maabárata, narrado pelo deus Críxena (Krishna), costuma ser definido como um sumário dos ensinamentos espirituais dos Vedas. Os hindus acreditam num espírito supremo cósmico, que é adorado de muitas formas, representado por divindades individuais. O hinduísmo é centrado sobre uma variedade de práticas que são vistos como meios de ajudar o indivíduo a experimentar a divindade que está em todas as partes, e realizar a verdadeira natureza de seu Ser. A teologia hinduísta se fundamenta no culto aos avatares (manifestações corporais) da divindade suprema, Brâman. Particular destaque é dado à Trimúrti – uma trindade constituída por Brama (Brahma), Shiva e Vixnu (Vishnu). Tradicionalmente, o culto direto aos membros da Trimúrti é relativamente raro – em vez disso, costumam-se cultuar avatares mais específicos e mais próximos da realidade cultural e psicológica dos praticantes, como por exemplo Críxena (Krishna), avatar de Vixnu e personagem central do Bagavadguitá. Os hindus cultuam cerca de 330 mil divindades diferentes.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Hindu%C3%ADsmo)

ISLAMISTA: “IslamismoIslão (português europeu) ou islã (português brasileiro) (em árabe: إسلام; transl.: Islām), é uma religião abraâmica monoteísta articulada pelo Alcorão, um texto considerado pelos seus seguidores como a palavra literal de Deus (Alá, em árabe: الله ; transl.: Allāh), e pelos ensinamentos e exemplos normativos (a chamada suna, parte do hadith) de Maomé, considerado pelos fiéis como o último profeta de Deus. Um adepto do islamismo é chamado de muçulmano. Os muçulmanos acreditam que Deus é único e incomparável e o propósito da existência é adorá-Lo. Eles também acreditam que o islã é a versão completa e universal de uma fé primordial que foi revelada em muitas épocas e lugares anteriores, incluindo por meio de AbraãoMoisés e Jesus, que eles consideram profetas. Os seguidores do islã afirmam que as mensagens e revelações anteriores foram parcialmente alteradas ou corrompidas ao longo do tempo, mas consideram o Alcorão (ou Corão) como uma versão inalterada da revelação final de Deus. Os conceitos e as práticas religiosas incluem os cinco pilares do islã, que são conceitos e atos básicos e obrigatórios de culto, e a prática da lei islâmica, que atinge praticamente todos os aspectos da vida e da sociedade, fornecendo orientação sobre temas variados, como sistema bancário e bem-estar, à guerra e ao meio ambiente. A maioria dos muçulmanos pertence a uma das duas principais denominações; com 80% a 90% sendo sunitas e 10% a 20% sendo xiitas. Cerca de 13% de muçulmanos vivem na Indonésia, o maior país muçulmano do mundo. 25% vivem no Sul da Ásia,[10] 20% no Oriente Médio, 2% na Ásia Central, 4% nos restantes países do Sudeste Asiático e 15% na África Subsaariana. Comunidades islâmicas significativas também são encontradas na China, na Rússia e em partes da Europa. Comunidades convertidas e de imigrantes são encontradas em quase todas as partes do mundo (veja: muçulmanos por país). Com cerca de 1,41-1,57 bilhão de muçulmanos, compreendendo cerca de 21-23% da população mundial, o islão é a segunda maior religião e uma das que mais crescem no mundo. Contudo, estes dados devem ser aceites com alguma reserva, dado que, por motivos óbvios, não existem estatísticas fiáveis sobre o número de muçulmanos que abandonam a religião.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Isl%C3%A3o)

JUDEU: “Judaísmo (em hebraico: יהדות, Yehadút) é uma das três principais religiões abraâmicas, definida como “religiãofilosofia e modo de vida” do povo judeu. Originário da Torá Escrita e da Bíblia Hebraica (também conhecida como Tanakh) e explorado em textos posteriores, como o Talmud, é considerado pelos judeus religiosos como a expressão do relacionamento e da aliança desenvolvida entre Deus com os Filhos de Israel. De acordo com o judaísmo rabínico tradicional, Deus revelou as suas leis e mandamentos a Moisés no Monte Sinai, na forma de uma Torá escrita e oral. Esta foi historicamente desafiada pelo caraítas, um movimento que floresceu no período medieval que mantém milhares de seguidores atualmente e, que afirma que apenas a Torá escrita foi revelada. Nos tempos modernos alguns movimentos liberais, tais como o judaísmo humanista, podem ser considerados não-teístas. O judaísmo afirma uma continuidade histórica que abrange mais de três mil anos. É uma das mais antigas religiões monoteístas, que sobrevive até os dias atuais, e a mais antiga das três grandes religiões abraâmicas. Os hebreus/israelitas já foram referidos como judeus nos livros posteriores ao Tanakh, como o Livro de Ester, com o termo judeus substituindo a expressão Filhos de Israel Os textos, tradições e valores do judaísmo influenciaram mais tarde outras religiões monoteístas, tais como o cristianismo, o islamismo e a Fé Bahá’í. Muitos aspectos do judaísmo também influenciaram, pela ética secular ocidental e pelo direito civil. Os judeus são um grupo etno-religioso e incluem aqueles que nasceram judeus ou foram convertidos ao judaísmo. Em 2010, a população judaica mundial foi estimada em 13,4 milhões, ou aproximadamente 0,2% da população mundial total. Cerca de 42% de todos os judeus residem em Israel e cerca de 42% residem nos Estados UnidosCanadá, com a maioria restante na Europa. Os judeus podem ser divididos em 3 grupos. O judaísmo ortodoxo (judaísmo haredi e o judaísmo ortodoxo moderno), o judaísmo conservador e o judaísmo reformista. A principal diferença entre esses grupos é a sua abordagem em relação à lei judaica. O ortodoxo sustenta que a Torá e a lei judaica são de origem divina, eterna e imutável, e que devem ser rigorosamente seguidas. Os conservadores e reformistas são mais liberais, com o judaísmo conservador, geralmente promovendo uma interpretação mais “tradicional” de requisitos do judaísmo do que o judaísmo reformista. A posição reformista típica é de que a lei judaica deve ser vista como um conjunto de diretrizes gerais e não como um conjunto de restrições e obrigações cujo respeito é exigido dos judeus. Historicamente, tribunais especiais aplicaram a lei judaica; hoje, estes tribunais ainda existem, mas a prática do judaísmo é voluntária. A autoridade sobre assuntos teológicos e jurídicos não é investida em qualquer pessoa ou organização, mas nos textos sagrados e nos rabinos e estudiosos que interpretam esses textos.”

TAOÍSTA: “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.” (1 Coríntios 3:15)

“O Taoismo, também chamado Daoismo e Tauismo, é uma tradição filosófica e religiosa originária da China que enfatiza a vida em harmonia com o Tao(romanizado atualmente como “Dao”). O termo chinês “Tao” significa “caminho”, “via” ou “princípio”, e também pode ser encontrado em outras filosofias e religiões chinesas. No taoismo, especificamente, o termo designa a fonte, a dinâmica e a força motriz por trás de tudo que existe. É, basicamente, indefinível: “O Tao do qual se pode discorrer não é o eterno Tao.” A principal obra do taoismo é o Tao Te Ching, um livro conciso e ambíguo que contém os ensinamentos atribuídos a Lao Zi (chinês: 老子, pinyinLǎoziWade-GilesLao Tzu). Juntamente com os escritos de Zhuangzi, estes textos formam os alicerces filosóficos dessa religião. Este taoismo filosófico, individualista por natureza, não foi institucionalizado. Ao longo do tempo, no entanto, foram sendo criadas formas institucionalizadas do taoismo na forma de diferentes escolas que, frequentemente, misturaram crenças e práticas que antecediam até mesmo os textos-chave do taoismo – como, por exemplo, as teorias da Escola dos Naturalistas, que sintetizaram conceitos como o do yin-yange o dos cinco elementos. As escolas taoistas tradicionalmente reverenciam Lao Zi e os “imortais” ou “ancestrais” e possuem diversos rituais de adivinhação e exorcismo, além de práticas que visam a atingir o êxtase e obter maior longevidade ou mesmo a imortalidade. As tradições e éticas taoistas variam de acordo com a escola, porém, no geral, enfatizam a serenidade, a não ação (wu-wei), o vazio, a moderação dos desejos, a simplicidade, a espontaneidade, a contemplação da natureza e os Três Tesouros: compaixão, moderação e humildade. O taoismo teve uma influência profunda na cultura chinesa no decorrer dos séculos. Os clérigos do taoismo institucionalizado (chinês: 道士, pinyindàoshi), geralmente, tomam cuidado para deixar clara a distinção entre suas tradições rituais e os costumes e práticas encontrados na religião popular chinesa, uma vez que estas distinções podem ser facilmente pouco perceptíveis. A alquimia chinesa (especialmente neidan), a astrologia chinesa, o zen-budismo, diversas artes marciais, a medicina tradicional chinesa, o feng shui e diversos estilos de qiqong têm suas histórias entrelaçadas com a do taoismo. Além da China em si, o taoismo teve grande influência nas sociedades do leste da Ásia.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Taoismo)

XINTOÍSTA: “Xintoísmo (em japonês: 神道, transl. Shintō) é o nome dado à espiritualidade tradicional do Japão e dos japoneses, considerado também uma religião pelos estudiosos ocidentais. A palavra Shinto (“Caminho dos deuses”) foi adotada do chinês escrito (神道), através da combinação de dois kanji: “shin” (神?), que significa “deuses” ou “espíritos” (originalmente da palavra chinesa shen); e “” (道?), ou “do”, que significa “estudo” ou “caminho filosófico” (originalmente da palavra chinesa tao). Os termos yamato-kotoba (大和言葉) e Kami no michi costumam ser usados de maneira semelhante, e apresentam significados similares. O xintoísmo incorpora práticas espirituais derivadas de diversas tradições pré-históricas japonesas, locais e regionais, porém não surgiu como instituição religiosa formalmente centralizada até a chegada do budismoconfucionismo e taoísmo no país, a partir do século VI.[3] O budismo gradualmente se adaptou, no Japão, à espiritualidade nativa, como por exemplo na inclusão do kami, componente da crença xintoísta, entre os bodisatvas (bosatsu). As práticas xintoístas foram registradas e codificadas pela primeira vez nos registros escritos históricos do Kojiki e Nihon Shoki, nos séculos VII e VIII. Ainda assim, estes primeiros escritos japoneses não se referem a uma “religião xintoísta” unificada, mas a práticas associadas com as colheitas e outros eventos dos clãs relacionados às estações do ano, aliadas a uma cosmogonia e mitologia unicamente japonesas, que combina tradições espirituais dos clãs ascendentes do Japão arcaico, principalmente das culturas Yamato e Izumo. O xintoísmo caracteriza-se pelo culto à natureza, aos ancestrais,e pelo seu politeísmo, com uma forte ênfase na pureza espiritual, e que tem como uma de suas práticas honrar e celebrar a existência de Kami (神?), que pode ser definido como “espírito”, “essência” ou “divindades”, e é associado com múltiplos formatos compreendidos pelos fieis; em alguns casos apresentam uma forma humana, em outros animística, e em outros é associado com forças mais abstratas, “naturais”, do mundo (montanhasriosrelâmpagoventoondasárvoresrochas). Considerado como consistindo de energias e elementos “sagrados”, o Kami e as pessoas não são separados, mas existem num mesmo mundo e partilham de sua complexidade inter-relacionada. O xintoísmo moderno apresenta uma autoridade teológica central, porém não tem uma teocracia única. Consiste, atualmente, de uma associação inclusiva de santuários locais, regionais e nacionais de variada significância, em importância e história, que exprimem suas diversas crenças através de práticas e idiomas semelhantes, que datam dos períodos Nara e Heian.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Xinto%C3%ADsmo)

/

/

/

Rafael Giordano Barboza Gondim: OBS: Está faltando algo?

Veja:

(Ressurreição de MacGaren)

Ouvindo:

(Pitty – Na Sua Estante)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s